Categorias: Li, assisti & joguei

Pipoca #2: Iris

iris-apfel-1

Iris, 2014

Provavelmente, você já ouviu falar nessa senhorinha simpática que esbanja estilo e personalidade em seu visual, a Iris Apfel. Eu já tinha ouvido falar mas, pra ser bem sincera, não tinha dado muita bola. Depois que assisti esse documentário, me sinto envergonhada por não ter dado a devida atenção à ela, haha. Estou apaixonada pela sua ousadia, pela sua história, suas experiências de vida, pelo seu jeitinho bem humorado e cheio de graça. Uma mistura de excentricidade com muita sensibilidade.

O documentário, dirigido pelo cineasta Albert Maysles, mostra um pouquinho do cotidiano de Iris e, entre um brechó e outro, entre uma exposição e um evento, vai contando sua trajetória, relembrando momentos e pessoas que passaram em sua vida. Muito mais do que mostrar seu senso apurado para a moda e sua vasta coleção de objetos e peças garimpadas a dedo, o filme é uma verdadeira lição de vida. Mostra uma pessoa extremamente inspiradora, que mesmo com toda a extravagância, é uma pessoa muito sensível e com uma mente muito sagaz.

Fiquei muito cativada pela forma como ela se veste e a maneira criativa como ela combina elementos, formas e texturas. Achei muito interessante acompanhar seus passeios pelas lojinhas simples e amontoadas, garimpando (e pechinchando) peças e acessórios subestimados por nós. A decoração de sua casa é de encher os olhos! Repleta de peças irreverentes, com um pezinho no “kitsch”. Além disso, o documentário também mostra todo o amor e respeito que há entre Iris e Carl, seu marido, nesses mais 65 anos de relacionamento. Super bonitinho!

iris-apfel-2

Algumas passagens valem a pena ser reproduzidas aqui, são lições preciosas para se pensar e levar pra toda a vida.

Sobre personalidade e estilo:
“Tem que parecer certo para mim. Sempre que eu faço, faço de uma maneira diferente. Eu gosto de individualidade. Tanto é perdido nos dias de hoje. Há tanta mesmice. Tudo é homogeneizado. Eu odeio isso.”

Sobre não julgar o estilo do outro:
“- Eu nunca ouvi você dizer ‘eu não gosto de como essa pessoa se veste’.
– Eu não posso julgar. Não é da minha conta, se eles estão felizes assim… Sabe, é melhor ser feliz do que bem vestido.”

Sobre a escolha de Iris e Carl em não ter filhos:
“Aprendi há muito tempo que não se pode ter tudo e eu queria uma carreria, eu queria viajar. Eu sei o quanto eu ressentia minha mãe, ela se ausentou e voltou quando eu tinha 10, 11 anos. Eu fiquei muito chateada. Eu senti que tinha sido abandonada. Por isso eu não queria ter filhos para que fossem criados por uma babá. Mas não se pode fazer tudo, é impossível. Algo tem que ceder e, às vezes, é você.”

Sobre a beleza vazia:
“Eu nunca me senti bonita. Eu não me sinto bonita agora. Eu não sinto mal por isso e acho que deu certo porque eu acho que, por exemplo, todas as meninas que eu conheço que eram bonitas e se apoiavam em sua beleza, com o passar dos anos, elas foram desvanecendo. Elas eram nada e ficaram muito decepcionadas. Mas se você for uma pessoa como eu, para conseguir as coisas e ser atraente, você tem que desenvolver algo, aprender e fazer alguma coisa. Então, você fica mais interessante. E quando você fica mais velho, você se vira com isso. De qualquer forma, eu não gosto do conceito de bonito.”

Tem no Netflix | Assista o trailer

14 comentários

Let's talk!

  1. Helen comentou:

    Já ta na minha lista, tks pela dica! Beijos.

    1. ♥ ♥ ♥

  2. Maki comentou:

    AI, gente, a Iris é muito inspiração! Ela tá tão fofinha, tão estilosa, tão lúcida. Sou fã mesmo! Mas nunca tinha assistido esse documentário, vou ver! Obrigada pela indicação! <3

    1. siiim, muito lúcida! quem dera chegarmos na idade dela com tanta disposição né? ;)

  3. Bianca comentou:

    Nossa nem sabia da existência desse filme! Vou tentar assistir hoje já que estou de cama sem muita vontade de fazer minhas obrigações :(

    Gostei das passagens que você separou, principalmente a parte da beleza <3

    Beijos!

    1. Espero que tenha gostado do documentário! ;) Bem levinho e inspirador!
      Beijo!

  4. Linda! também não conhecia ela. Vou procurar já esse documentário… adorei esses trechos que colocastes aí, são muito inspiradores mesmo. Espero poder chegar à velhice com essa lucidez toda também.

    1. Simm, é uma benção chegar aos 94 anos com tanta disposição e lucidez! ;) Ela é uma graça e cheia de simpatia, vale a pena assistir o documentário!
      Beijo!

  5. Chell comentou:

    Não conheço mas considero pacas já uahauhauahua gente, que linda! Quero ser assim!

    1. Vai lá assistir, Chell! Essa senhorinha é encantadora e cheia de ensinamentos! ♥

  6. Bruna comentou:

    HAHAHAH Eu só tinha visto fotos dela. Nem imaginava que existia um documentário. Adorei saber, vou procurar e assistir <3

    1. Eu também, Bruna! Mas por foto, não dá para saber o quanto ela é carismática… um amor de pessoa! Assiste sim e depois me conta o que achou!!

  7. Meu deus vou ver esse filme hoje, não sabia que tava no netflix. Amo essa mulher! <3

    1. Ela é uma fofa, Camila!! Adorei o documentário e simpatizei muito com ela! Certeza que você vai curtir! ♥