Categorias: O cachorro Paçoca Pessoalidades

3 anos de paçoquice

O Paçoca já não é novidade nenhuma por aqui né! E nem acredito que já se passaram 3 anos desde que eu trouxe essa “bolinha” (da foto aqui embaixo) pra casa. ♥

pacoca-3anos-1

Haviam dois cachorrinhos idênticos para eu escolher: mesma cor, “tamanhico” e cara de coitado. Não sei exatamente o que me fez escolher o Paçoca (e não o irmãozinho dele), vai ver que, como dizem, foi o Paçoca quem me escolheu, vai saber… Era tão pequenininho que eu podia, facilmente, segurar ele com apenas uma mão (hoje, eu preciso das duas mãos, uma oração e mais toda a força do mundo para levantar o “boizinho” do chão hahaha).

O Paçoca inteligente, amável, brincalhão e leal é para poucas pessoas. Apenas eu e mais meia dúzia de familiares próximos temos o privilégio de enxergar esse lado dele. Essa é a parte que mais me chateia pois eu gostaria que todo mundo conhecesse o bichinho de estimação incrível que ele é (para o resto do mundo, que não faz parte dessa listinha seleta, o Paçoca se transforma no cachorro mais desconfiado, agressivo e barulhento da vizinhança).

Apesar dos pesares, eu procuro levar pelo lado positivo. Enquanto não aparece um “Dr. Pet” para amansar a fera, vamos focar no quão excelente cão de guarda o Paçoca é! hahaha Ninguém passa despercebido pela porta de entrada (nem pelos muros, quintal ou qualquer metro quadrado do terreno) aqui de casa. ;)

Eu não precisei de 3 anos (na verdade, nem de um mês) para descobrir o quanto é legal você cuidar de um animalzinho. É aquele tal amor incondicional dos bichos que tanto falam por aí, é aquela recepção festiva que vira pulos (quase duplo twist carpado) cada vez que você chega em casa. É aquela disponibilidade, 24h por dia, em querer brincar, passear, estar perto da gente. É tanta gratidão, por parte do animal, que você fica com vergonha se não retribuir o carinho.

Quando você decide adotar um bichinho, são 15 anos (em média) de comprometimento e responsabilidade com um ser vivo que depende de você. Mas todos esses anos se tornam breves quando você descobre um amigo fiel. :)

Para escrever esse post, fiquei passeando pelas fotos antigas e achei tanta coisa bonitinha que resolvi anexar aqui no post para você ver também! Vamos acompanhar a fofura do mini-paçoca (quero ouvir todo mundo falando “ouuunnnnn” em cada foto, ok? hahah)!

Paçoca era só "barriga" no primeiro dia :O
Paçoca era só “barriga” no primeiro dia :O

pacoca-3anos-2
pacoca-3anos-4
pacoca-3anos-6

E hoje em dia…

pacoca-3anos-7

Quem também tem um fiel escudeiro? Vamos conversar aqui nos comentários! :)
Alguém também tem um cachorro medroso que se tornou agressivo quando está com medo? Alguém achou uma solução para esse problema? Quero saber!

Se você amou e disse “ouuuun” a cada foto do mini-paçoca, clica no ♥ aqui embaixo! hahaha

37 comentários

Let's talk!

  1. grace comentou:

    Oi Adrielly! O Paçoca é lindo! Sou uma fã dos compridinhos e tenho uma aqui em casa, a Bisteca. Assim como o Paçoca, ela é puro amor e fidelidade. … com apenas os mais íntimos. Perdi a conta de quantas pessoas ela já deu uma dentada, seja por não gostar de estar sendo tocada, seja por ela entender como intruso em seu território. Converso com outros tutores de linguiças e encontro muitas histórias parecidas… conclui que é o temperamento da raça. Não queria que fosse assim, mas é o

  2. grace comentou:

    Ops.. seguindo… mas é. . Bisteca melhorou com a maturidade: hj está com 8 anos, mais tranquila. … Já não dá saltos mortais, até pq ficou mais encorpada… mas é o meu xodó e me sinto privilegiada em te-la comigo. Minha companheira inseparável. :D

    1. Oi Grace! Obrigada pelo comentário!
      Bisteca é um nome bem típico para essa raça né! Já vi vários com esse nome! hehhehe
      Fico aliviada em saber que os linguicinhas realmente têm um temperamento mais “difícil”, mas acho que no caso do Paçoca é um caso extremo. O bicho é MUITO bravo e dá para ver que é mais por insegurança do que para “proteger” território. Espero que com o passar dos anos ele vá ficando mais tranquilo. heheh
      Beijos!!

  3. ana comentou:

    Pois é, a Guida é a mesma coisa: comprida, um docinho comigo e um “monstrinho” – apelido que ganhou de uma prima minha – com outras pessoas. Ela faz 7 anos esse ano, já me acompanhou em umas 8 mudanças de casa e de cidade. Esse ano mudo pra Alemanha pra fazer doutorado, e ela vai comigo. Lógico. Sem ela não me sinto em casa.

    1. Mas essa Guida é muito “chique” e viajada! hahahah O Paçoca continua na mesma casa desde sempre, fico imaginando como será o dia que eu resolver mudar para minha própria casa (que provavelmente será um apartamento), como será a adaptação. Tenho calafrios só de pensar! hahaha
      Boa sorte com sua experiência na Alemanha! E muito legal da sua parte em carregar sua cachorrinha, junto com você, para qualquer lugar do mundo! :)
      Beijos!

  4. Amanda comentou:

    Tenho um que fará dois ano neste ano. Minha familia encontrou na praia enquanto estávamos passeando. Adotamos e demos tanto amor que hoje dá trabalho porque ele quer ser um bebê, mas tá um gigante. ahahah Paçoca é uma fofura e cresceu demais.

    1. Que legal, Amanda! Os cachorros sabem retribuir o carinho que damos à eles (mas também ficam um tiquinho mal acostumados hahaha).
      Beijos! E obrigada pelo comentário!

  5. Gabriela comentou:

    Oi Adri! O Paçoca é uma graça! Impossível não falar “owwn” quando vemos as fotos dele pequenininho hahaha
    Tenho uma tia que já está na segunda geração de linguicinhas e com todos ela teve o mesmo problema com agressividade com algumas pessoas. Quando eu era mais nova, a Laika, mãe de todos não largava do meu calcanhar quando ia visitar minha tia… A técnica que uso agora com a filha dela é de ignora-lá totalmente. Quando chego, ela já começa com os latidos agressivos pra mostrar quem manda no pedaço, ai em vez de falar com ela ou de chama-lá pelo nome, ignoro ela totalmente, não olho em nenhum momento pra ela, como se ela não estivesse lá. É preciso um pouco de auto-controle pra fazer isso haha Mas depois de um tempo, ela se acalma, para de latir, fica me rodeando, cheirando e nessa hora eu aproveito e ofereço minha mão pra ver se ela deixa eu me aproximar e pronto, ela se rende! Depois disso, se estou no sofá ela acaba até deitando no meu colo pra receber carinho na barriga. Aprendi assistindo o programa do César, o encantador de cães e não é que funciona mesmo?

    1. Oi Gabriela! Me parece que a raça é um pouco agressiva mesmo, mas o Paçoca é um caso sério! hahah Ele é bastante agressivo, já chega mordendo… então essa sua técnica não iria funcionar com ele! hehe Mas uma vez eu conversei com um adestrador e ele disse algo que tem um pouco a ver com sua técnica, ele disse que o cachorro precisa sentir que a visita não é uma ameaça, precisa sentir confiança e o comportamento das pessoas influencia nisso. Mas é difícil orientar as pessoas, porque muitas vezes elas ficam querendo “forçar” a amizade ou ficam com medo, o que acaba só agravando a situação! :/
      Obrigada pelo comentário! :) Beijos!!

    1. hahahhaa que gracinha!! amei! muito fofa…. me lembrou minha outra cachorrinha, era uma poodle beeeeem parecida com essa sua! Ela chegou lá em casa quando eu era criança e faleceu com 14 anos, foi muito triste! Depois que ela se foi, achei que ia aguentar ficar sem cachorro, mas não aguentei e depois de 6 meses, trouxe o Paçoca pra casa! heheh <3

  6. Daniela comentou:

    Que coisinha linda! Morro de amores por cachorros e qualquer um me deixa toda boba! Eu tinha um Collie e também chegou bem pequenino aqui em casa, era só amorzinho! Animais são tão amáveis! AMO!

    1. hahah eu também sou do time dos cachorros e fico encantada com qualquer um! <3
      Collie é um cachorro muito elegante, quase um lorde né! Eu nunca convivi ou tive muito contato com um desses, mas sempre imagino isso quando vejo um! hahaha

  7. ah que coisa mais fofa <3

    1. <3 <3 <3

  8. Oi, Adri! Ai, que coisa mais fofa seu Paçoquinha! ♥

    Minha história com cachorrinhos é um pouco triste ;~ Eu e minha irmã somos muito alérgicas a cães e gatos, mas sempre quisemos ter um. Compramos a Amy, uma Poodle Toy pretinha, pequenininha e bolotinha, e logo ficamos apaixonadas por ela ♥ ♥ O final triste dessa história é que tivemos reação alérgica à Amy em menos de 24horas da permanência dela aqui em casa, e tivemos de devolver pro pet shop :/ Choramos muito, e até hoje guardamos fotos dela com amor. Acho que hoje em dia ela já está bem feliz na casa de donos legais e não alérgicos :~ heuehae!

    Beijinhos pra você! E adorei seu blog, viu? Tudo muito bonito :~)

    1. Oi Juliana! Poxa, que história triste!! :/ Muito diferente de você não poder ter cachorrinho (ou gatinho) porque, sei lá, os pais não querem, é você ser privada disso por conta de uma alergia! :S E você já pensou em ter outro tipo de animal como bichinho de estimação? Quando eu era criança, eu ganhei um pintinho e era muito engraçado. O bichinho ficava seguindo a gente pela casa, e quando a gente ficava parada (por algum motivo qualquer) ele subia em cima do nosso pé! <3 Muito amor! haahah
      Obrigada pelo comentário!! Adoro suas ilustrações! :) Beijos

  9. Nossa mas é tão fofo, o meu max não fica assim quieto para tirar fotos, ele ja deve pesar mais 30kg e se acha um poodle.
    Acho que todo cãozinho tem seu lado bravo, o meu deixa vc passar a mão e fazer um carinho, mas o problema é que quando vc termina o carinho ele avança, não consigo entender!!

    1. Mas o Paçoca também não para quieto, não! hahaha Só consegui tirar essas fotos porque ele era filhotinho…. hoje em dia, eu só consigo tirar algumas com o celular e olha lá!
      hahaha o Max fica “bravo” porque quer mais carinho, tá certo ele! hahaha :)
      Beijos!!

  10. Dud's comentou:

    ai meu deus que coisinha mais linda *—* e amei o nome! hahaha
    eu tenho um viralata chamado Adam que é só amor, apesar de ser 99% endiabrado…hahaha

    1. Adam é um nome bem diferente para cachorros hahahha (pelo menos, eu nunca tinha visto!). Mas, adorei também!! Eu não sou muito criativa na hora de dar nomes, quem escolheu “Paçoca” foi meu namorado… e acho que no final das contas, teve tudo a ver! hahah
      Beijos!!

  11. Gente! Que delícia de bichinho, morri de amor com o olhar dele na primeira foto. É realmente um amor lindo e incondicional. A minha Kimmy tem 10 anos e não consigo imaginar a vida sem ela <3 Parabéns pro Paçoquinha, que, aliás, tem um nome sensacional, hahaha!

    1. Oi Ana! :) Todo filhotinho tem esse olhar meio sonolento, com cara de coitadinho né? Ficam ainda mais fofos! heheh
      Beijos!

  12. Tamirez comentou:

    Eu tenho uma gata, a Lexi! Ela é uma marotagem só, e acho que nunca vai ter aquele espirito de gato preguiçoso que vemos por ai, pois já está quase com dois anos e se você sacudir muito as mãos enquanto caminha pela casa, vai ver ela pulando em você em segundos. Ela é a minha companherinha na minha jornada de morar sozinha. Queria um dog, mas meu apartamento é muito pequeno e dai acho um pecado deixar o bichinho trancado. Eles trazem luz e amor para nossas vidas e acho que somos pessoas melhores, por termos eles (:

    Boa semana!

    1. Nunca cuidei de gatos, então nem sei como que é a convivência com eles. Mas achei interessante sua gatinha ser mais ativa assim (normalmente a gente acha que gatos são mais paradinhos), deve aprontar muitas coisas engraçadas! :) Cachorros são mais espaçosos mesmo, mas dependendo do tamanho dele (se for pequenininho) acho que até dá para arriscar no seu apartamento. :)
      Beijos!!

  13. Raquel comentou:

    Own, que lindinho! Seu post me lembrou quando eu fui buscar minha cachorrinha, era tão bebezinha que mal conseguia andar, deu uma saudade <3 não existe companhia melhor que a de cães.
    beijos

    1. Oi Raquel! Os primeiros dias com um cachorrinho é pura fofura né? E sem dúvida alguma, ter animais de estimação faz muito bem mesmo! :)
      Beijos!!

  14. Oi Adrielly , primeira vez que comento aqui, mas estou apaixonada pelo seu blog, adoro o jeito que você escreve…
    Estou mudando um pouco a cara do meu blog, voltando a escrever e etc… E achei seu blog no xcake, desde então passo aqui sem compromisso, só para ler o que você escreve …
    Bom, falando sobre o Paçoca, ele é lindo … super fofo… me identifiquei super, pois tenho uma cachorrinha a June, ela é desse jeito ou pior, as pessoas não podem nem chegar perto, morro de vergonha, sempre quis ter um cachorro amável com as outras pessoas, igual vejo na casa de muitos amigos , mas a June demora para fazer amizade e mostrar seu lado fofo e carinhoso. Também não sei o que fazer, acho que sou uma péssima educadora de cães, por muito mimo talvez, minha irmã vive dizendo que a June tem um humano de estimação. Gostaria muito da ajuda do Dr. Pet também rss. Mas uma coisa não muda é um amor delicioso de se compartilhar. Uma ela do jeitinho que ela é ranheta…. minha companhia perfeita para todas as ocasiões!!!!! beijinhos

    1. Oi Laís!! Eu vi a marca que o Pedro (meu sócio) criou para você e ficou lindo!! :) Mal vejo a hora de criarmos seu layout! hehehe
      Adorei seu comentário, eu também penso a mesma coisa: queria ter um cachorrinho mais sociável igual os cachorros que vejo na casa de amigos e familiares, que ficam numa boa no meio de “desconhecidos”. E também adoraria que o “Dr. Pet” resolvesse a situação, meu sonho!! De qualquer forma, ainda bem que com a gente eles são uns amores, né?! hahah
      Beijos!! E apareça mais vezes por aqui!

  15. O Paçoca é muito lindo, adorei as fotinhos dele, tanto filhotinho quanto grandão já! :)

    Nós temos um gatinho lá em casa, e ele é nosso xodó e baby lindo!
    Ele não é agressivo, mas é super medroso quando chegam pessoas que ele ainda não conhece, então simplesmente as evita e fica no cantinho dele, rezando para ser invisível – de crianças, então, ele tem pavor! kkk

    1. Quem dera se o Paçoca se escondesse quando chegasse visita por aqui! hahahah Seria muito bom, viu! #sonhomeu

  16. É muita fofura pra um Paçoca só! <3

    Você sabe que não tenho cães e sim dois gatos, mas mesmo assim quis compartilhar – mãe de bicho é tudo coruja, né? rs… A Gaia, que tem um ano e meio, é desconfiadíssima, de tudo e de todos. Ela observa muito cuidadosamente antes de se aproximar, sejam pessoas ou coisas (levou três semanas aqui em casa pra criar coragem de subir na cama). Porquê ela é assim com as coisas eu não sei, mas com as pessoas já entendi: ela não gosta de gente que chega chegando, falando alto, "causando". Se entrar alguém mais barulhento em casa ela corre pra debaixo da estante ou da cama ou de um armário da área de serviço. Mas se a pessoa entrar falando baixo e com serenidade, ela fica estátua por uns segundos observando e depois circula pela casa normalmente. Não vem perto da pessoa, mas também não foge desesperada. Já o Eros, que tem entre quatro e cinco meses, é tão folgado que já vai subindo no colo e, se der trela, faz escalada: vai subindo até chegar em cima da cabeça. hahahaha…

    1. Oi Lis!! O Paçoca é fofo assim apenas na foto! hahaha Ao vivo, ele vira uma ferinha! A agressividade por medo é mais difícil de controlar do que agressividade por território. Mas já conversei com um adestrador e ele me disse que é possível controlar isso (só preciso me organizar financeiramente para arcar com os custos desse acompanhamento profissional hahaha). Pelo menos comigo o Paçoca é muito bonzinho, e acho que é isso que importa né! :)
      Beijos!!

  17. Diana comentou:

    Fiz “nhoin” não só pro mini, como pro de hoje em dia! auhuaau :P

    1. hauhauhah Paçoca mandou um beijo pra você! :)

  18. isabele comentou:

    Ain, que coiso gostoso! Tenho duas cadelinhas… Uma bem velhinha, com seus 17 anos e a outra com 6 aninhos. São meus mimos, a mais velha volta e meia eu abaixo para ve se tá respirando ainda (as vezes da susto), mas ta bem saudável dentro do possível, só aqueles probleminhas de idade, usa fraldinha pq ta com incontinência urinaria . A mais nova é uma peça, super animada e mimada. Quando da 22 horas ngm pode ficar na sala pq ela quer dormir, e se ficar ela briga. Além de educadinha, não entra em casa, respeita os limites e mesmo a gente chamando ela não entra. Além de avisar quando a Miucha (a mais velha) não está se sentindo bem… Amo as duas, Shakira e Miucha são tudo pra mim.

    1. Oi Isabele! Eu também fazia isso com minha outra cachorrinha, às vezes ela ficava tão quietinha que eu precisava conferir se ainda estava respirando. haha
      Cães são as melhores companhias, impossível não amá-los né?! :)
      Beijos!